1a. Página Opinião Em Tempo
Economia Mundo História
Brasil ã Deriva Papo

 

Cap Grumarí, de bordo da nau ClipPirata, tem o privilégio de ter acesso ã s notícias da China e disponibilizá-las aos leitores-internautas.
A dimensão do crescimento econômico da China permite a aposta de que uma das mais acentuadas diferenças entre o projeto capitalista chinês e o neoliberalismo ocidental se fará sentir no médio prazo, pelo investimento maciço no desenvolvimento tecnológico e na aplicação de políticas públicas direcionados ã s soluções dos problemas ambientais.

"A tecnologia é a salvação do perigo ambiental".
Prof. Cndido Mendes no Conexão Roberto D'Ávila na TVE do Rio de Janeiro

UE otimista com ressurgimento da China como potência
Beijing -- O embaixador da União Européia (UE) na China, Serge Abou, disse ã  imprensa que o novo documento de parceria UE-China da Comissão Européia (CE)  representa uma resposta positiva e efetiva ao ressurgimento da China como potência econômica e política.
Em entrevista coletiva na embaixada da UE em Beijing, Abou disse que a CE acaba de aprovar o documento "UE-China: parceiros mais próximos, responsabilidades crescentes", que constitui um guia completo para o desenvolvimento das relações bilaterais.
O desenvolvimento da China terá um impacto profundo na política e no comércio mundiais, de modo que a UE deve melhorar a coordenação política em todos os níveis e assegurar que haverá uma única voz européia em assuntos-chave, acrescentou.
Abou assinalou que uma parceria estratégica mais estreita entre a UE e a China significa maior responsabilidade para as duas partes. A UE continuará apoiando a transição da China para uma sociedade mais aberta e plural e a China deve assumir uma maior responsabilidade em assuntos internacionais.
Quanto ao novo documento UE-China sobre políticas comerciais e de investimento, Abou assinalou que o documento se centra no fato  de a China constituir o maior desafio individual para a política comercial da UE. Ele afirmou que a China é uma história de êxito da globalização, não uma história de medo da globalização.
Abou acrescentou que o crescente comércio exterior chinês representa expectativas cada vez maiores. A China deve cumprir as obrigações da OMC e se comprometer com o comércio justo. Deve também abrir mais seu mercado e dar mais apoio ã s companhias européias. Para a UE, ajustar-se ao desafio competitivo e obter um acordo justo com a China será o desafio central da sua política comercial na próxima década.
O documento da UE considera o desenvolvimento sustentável um dos desafios globais chave de hoje. Abou disse que, de acordo com o novo documento, a UE trabalhará de forma estreita com a China em temas como a segurança energética, a mudança climática mundial e a proteção ambiental.
A UE ajudará a China a garantir o abastecimento de energia segura e sustentável, a reduzir o impacto ambiental e climático negativo da produção de energia e a incentivar o uso da energia limpa.

China pede transferência sem barreiras de tecnologia de energia  renovável
Beijing -- A transferência de tecnologia de energia renovável pode ser feita de acordo com princípios comerciais, mas não se devem criar barreiras a isto, disse Wu  Guihui, alto funcionário da China.
"A tecnologia de energia renovável deve ser diferenciada das tecnologias militares ou de outros tipos. Para aliviar efetivamente os problemas de escassez de recursos e deterioração do meio ambiente, devemos adotar tecnologias de energia renovável  maduras em áreas mais amplas o mais cedo possível", disse Wu, vice-diretor do Departamento de Energia da Comissão Estatal de Desenvolvimento e Reforma.
O pedido foi feito por Wu na sessão inaugural do Fórum e Exposição de Energia Renovável Grande Muralha 2006, aberto em 24 de outubro em Beijing.
Michael Eckhart, presidente do Conselho de Energia Renovável dos EUA (CERE), expressou sua satisfação pelo compromisso da China em redigir a Lei de Energia Renovável. Ele disse que no próximo fórum em Washington, perguntará ao seu governo se os Estados Unidos podem atingir a meta de 25% de energia renovável no abastecimento total de energia até 2025 e 50% até 2050.
O encontro de três dias foi organizado pela Associação de Energia Renovável da China, em conjunto com o Conselho Mundial de Energia Eólica e o CERE.
Os mil funcionários governamentais, acadêmicos e pessoas da indústria que se reuniram no Centro Internacional de Convenções de Beijing vieram de mais de 50 países e regiões. Eles discutiram em profundidade a exploração saudável e acelerada de energia renovável na China e em todo o mundo.

China abre centro de monitoramento ambiental em Xi'an
Xi'an, China -- A Administração Estatal de Proteção Ambiental (AEPA) da China inaugurou um centro de monitoramento ambiental em Xi'an, capital da província de Shaanxi, no noroeste do país.
O centro supervisionará o cumprimento das leis de proteção ambiental nas províncias ou regiões autônomas como Shaanxi, Gansu, Qinghai, Ningxia e Xinjiang, informou o vice-diretor da AEPA, Zhang Lijun.
Zhang disse que o centro também pesquisará contaminações e a  deterioração ecológica na área e acompanhará as respostas e medidas dos governos locais diante de crises ambientais.
A AEPA planeja estabelecer dois outros centros de monitoramento, no sudoeste e nordeste da China, segundo Zhang.
Com os centros do leste e do sul, a China conta agora com uma  rede de monitoramento ambiental relativamente completa, comentou o funcionário.

China oferece mais créditos MDL que qualquer outro país
Beijing -- A China é líder mundial em oferta de créditos MDL (Mecanismo de Desenvolvimento Limpo) com uma participação de mercado de 60% nos primeiros nove meses deste ano, segundo um relatório do Banco Mundial.
O relatório escrito por Karan Kapoor, pesquisador do Departamento de Desenvolvimento Sustentado (África) do Banco Mundial, diz que a China fez 24% das transações no mundo este ano, equivalentes a 3,9 milhões de toneladas de bióxido de carbono.
Setenta e nove projetos MDL chineses tinham vendido o equivalente a 348 milhões de toneladas de bióxido de carbono a países desenvolvidos até 10 de setembro deste ano, pelo preço médio de US$ 7,53.
O relatório prevê que a China continuará dominando este mercado, pois um grande número de operações se encontram em negociação.
A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China  (CNDR) aprovou 135 projetos MDL, depois de ter ratificado outros 50 em meados do ano, disseram fontes da Comissão Nacional de Coordenação sobre Mudança Climática.
Entre os projetos atuais na China destacam-se os de energia  eólica e hidrelétrica, geração de energia com gás de aterros sanitários, utilização do metano de minas de carvão, reflorestamento e decomposição de HFC-23.
De acordo com o Protocolo de Kioto, que entrou em vigor em 2005, 38 países industrializados devem reduzir suas emissões de gás de estufa 5,2% em relação aos níveis de 1990, entre 2008 e 2012. 
O MDL é um mecanismo de mercado que permite aos países cumprir suas obrigações de reduzir a emissão a um custo muito menor, investindo em projetos de energia limpa nos países em desenvolvimento como a China.
Segundo os analistas, a China pode ganhar milhares de milhões de dólares vendendo créditos MDL.

COI elogia trabalho de Beijing para proteção ambiental
Beijing -- O meio ambiente continua sendo um desafio para os organizadores dos Jogos Olímpicos de Beijing, mas eles estão trabalhando arduamente para cumprir seus compromissos, disse aqui um alto funcionário do Comitê Olímpico  Internacional (COI).
"O ambiente é um desafio para os organizadores aqui", disse  Hein Verbruggen, presidente da comissão de coordenação do COI para os 29ºs Jogos Olímpicos.
Porém, Verbruggen disse que o orçamento de US$ 12,3 bilhões para os trabalhos ambientais, junto com os esforços das autoridades de Beijing e dos organizadores das Olimpíadas garantem que não haverá problemas para os atletas.
"Eles trabalham com muita persistência... cumprem seus compromissos, disse. "Nós garantimos completamente que durante os Jogos não haverá problemas para os desportistas."

Represamento de água de Três Gargantas perto do fim
Yichang -- O nível de água no Represa das Três Gargantas será elevado a 156 metros, segundo informação da Companhia de Desenvolvimento do Projeto das Três Gargantas do Rio Yangtze (CDPTGRY).
O nível de água atrás da represa das Três Gargantas atingiu 154,95 metros, subindo 19,45 metros desde 20 de setembro, quando o nível de água começou a se elevar.
As chuvas recentes no vale do curso superior do Rio Yangtze  elevou o nível das águas do reservatório, informou um funcionário do Centro de Controle das Três Gargantas.
De acordo com o plano original de retenção de água, o nível no reservatório será elevado até 156 metros entre 15 a 20 deste mês.
A CDPTGRY, responsável pelo projeto, diz que o plano de represamento de água perdeu o último prazo marcado para atingir 156 metros devido ã  seca nas áreas do curso superior do rio, incluindo o sudoeste da província de Sichuan e o vizinho município de Chongqing.
Segundo informações do centro da monitoramento de segurança da CDPTGRY, os dados dos 10,2 mil monitores instalados na represa das Três Gargantas revelam que esta estrutura gigantesca de concreto, concluída  em maio, permanece estável.

Reservas naturais ocupam 15% do território chinês
Beijing -- A China já estabeleceu 2.349 reservas naturais com uma superfície total de 1,5 milhão de quilômetros quadrados, que representa 15% do território do país,  disse quinta-feira a Administração Estatal de Proteção Ambiental  (AEPA).
Estas reservas naturais incluem mais de 70% dos ecossistemas, 80% das espécies animais selvagens, 60% das espécies botnicas e importantes patrimônios naturais da China, disse um funcionário da AEPA durante o seminário sobre diversidade biológica UE-China.
As reservas naturais que protegem animais, ecossistemas de deserto e de pntanos e áreas aquáticas cobrem respectivamente 29%, 27% e 17% da superfície total das reservas.
Oito províncias -- Guangdong, Yunnan, Heilongjiang, Sichuan, Jiangxi, Guizhou, Fujian e Mongólia Interior -- têm 58% das reservas naturais. 
Este ano, a primeira reserva natural da China, a Montanha de Dinghushan, na província de Guangdong, no sul do país, completa 50 anos.

Dell lança serviço de reciclagem na China
Nova Iorque -- A Dell, maior fabricante de computadores do mundo, afirmou quinta-feira que lançará serviços de reciclagem para clientes comerciais na parte continental da  China e em Hong Kong.
"Queremos facilitar a reciclagem para nossos clientes na China e a Dell se compromete a reciclar aquilo que fabrica e vende", disse o presidente e CEO da empresa, Kevin Rollins. "Pedimos a todos os fabricantes da indústria que se unam a nós para oferecer uma reciclagem responsável na China", . 
O Serviço de Recuperação de Bens da Dell ajuda os clientes comerciais e institucionais a eliminar, restaurar ou reciclar hardware velho em conformidade com padrões ambientais.
A Dell lançará em novembro um serviço de reciclagem gratuito de computadores e acessórios da sua marca. O serviço não está vinculado a nenhuma compra de reposição.
Iniciar a reciclagem entre os consumidores da China é uma parte do compromisso global de reciclagem anunciado pela empresa em junho passado.
A China é o maior mercado da Dell fora do território norte-americano.

Automóveis da China usarão combustíveis limpos em 2025
Beijing -- Metade dos automóveis da China usarão combustíveis mais limpos como diesel, gás e biocombustíveis em 2025, disse recentemente um alto funcionário chinês.
As energias renováveis e de baixa emissão de poluentes substituirão a gasolina tradicional nos automóveis do futuro, disse em um seminário Feng Fei, diretor do Departamento de Estudo Econômico e Industrial, do Centro de Desenvolvimento e Pesquisa, subordinado ao Conselho de Estado da China.
"O biocombustível e o hidrogênio serão os substitutos finais dos combustíveis fósseis", disse Feng.
Os combustíveis fósseis continuarão sendo a maior fonte de energia para os veículos chineses até 2030, mas formas menos poluentes irão predominar no futuro, indicou.
Por outro lado, Feng descartou que o petróleo a base de carvão, que se desenvolveu de forma rápida nos últimos anos, poderá ser uma das principais fontes de energia alternativa para veículos.
Os maiores problemas na transformação de carvão em petróleo residem na baixa eficiência e na alta emissão de dióxido de carbono no processo de produção, explicou Feng.
A empresa Shenhua, principal produtor de carvão da China, planeja investir, em 2011 e 2012, em três projetos que permitirão gerar 10 milhões de toneladas de petróleo a base de carvão.
Estima-se que a China necessitará de 450 milhões de toneladas de petróleo ao ano em 2020, dos quais mais da metade serão importados.

Vice-presidentes chinês e argentino falam de parceria estratégica
Beijing -- O vice-presidente da China, Zeng  Qinghong, conversou quarta-feira aqui com o vice-presidente da  Argentina, Daniel Osvaldo Scioli. Ambos prometeram impulsionar a  parceria estratégica entre os dois países.
Fortalecer a cooperação entre a China e a Argentina não só favorece os interesses dos dois países, mas também beneficia a paz e a estabilidade do mundo, disse Zeng.
O vice-presidente chinês disse que espera esforços conjuntos dos dois países para elevar sua parceria estratégica a um novo  nível. Ele expressou apreço pelo apoio argentino ã  política de "uma só China".
Scioli está fazendo uma visita oficial ã  China entre 25 e 28 de outubro a convite de Zeng.
As relações bilaterais sino-argentinas se encontram em um nível de desenvolvimento sadio e a Argentina dá prioridade ã s relações com a China em sua política externa, disse Scioli.
Agradecendo a China pelo seu apoio em uma série de assuntos importantes, Scioli acrescentou que a Argentina deseja fomentar  suas relações com a China tendo em vista o seu rápido desenvolvimento econômico e a estabilidade social.

Chirac reitera apoio da França ã  política de uma só China
Beijing -- A França apoiará firmemente o princípio de uma só China e não mudará sua política em relação ã  Taiwan, disse hoje aqui o presidente francês Jacques Chirac.
Chirac fez a declaração ao realizar uma entrevista coletiva conjunta com o presidente chinês Hu Jintao enquanto que este último elogiou a firme posição da França.
Os dois presidentes assinaram uma declaração conjunta depois das conversações. A França reiterou na declaração que opõe a qualquer ação que intensifique a situação entre os dois lados do Estreito de Taiwan ou que possa provocar a "independência de  Taiwan", dizendo que espera por uma solução pacífica do assunto através do diálogo.
Chirac chegou a Beijing quarta-feira para realizar uma visita de quatro dias ã  convite de Hu Jintao.

Alemanha confirma incidente entre navio de guerra e aviões  israelenses
Berlin -- Um porta-voz do Ministério da Defesa da Alemanha confirmou ontem o incidente da terça-feira em que seis caças F-16 do Israel voaram muito baixo sobre um navio de guerra alemão que patrulhava as costas do Líbano.
Os caças ativaram sinais infravermelhos e um deles fez dois  disparos para o ar, disse Thomas Raabe, segundo a agência de noticias alemã DPA. 
Raabe disse que Israel e a Alemanha realizaram consultas sobre o incidente a nível governamental e que as duas partes prometeram cooperar. 
A Alemanha dirige uma força naval da ONU nas costas do Líbano com oito navios e  mil soldados para impedir o contrabando de armas e ajudar a manter cessar fogo entre Israel e o grupo militante xiita libanês Hezbollah.
Israel confirmou também o incidente e as consultas.

China anunciará extensão da Grande Muralha em 2008
Beijing -- Uma pergunta de 500 anos - qual é a extensão exata da Grande Muralha da China? - será respondida em 2008 por dois departamentos do governo chinês.
Uma pesquisa geográfica em grande escala sobre a Grande Muralha será realizada pela Administração Estatal de Patrimônio Cultural (AEPC) e o Departamento Estatal de Pequisa e Cartografia (DEPC) da China.
A pesquisa será concluída em 2007 e as estatísticas básicas da Grande Muralha, incluindo sua extensão e seu design, serão divulgadas em 2008, disseram fontes do governo.
A Grande Muralha data do Período dos Estados Combatentes (475-221 a.n.e.) quando se construíram seções separadas em várias áreas estratégicas para defender a China contra a invasão de tribos nômades do norte.
Uma ampla proporção da Grande Muralha se localiza em áreas pouco habitadas, pobres e remotas. O cálculo tradicional de sua extensão é de 25 mil quilômetros.
Os restos dos principais trechos da Grande Muralha foram reconstruídos nas dinastias Ming (1368-1644) e Qing (1644-1911).  Estima-se que esses trechos somem 6,7 mil quilômetros.
Em termos gerais se considera que a Grande Muralha inicia no Passo Jiayuguan, da província de Gansu, noroeste da China, e se estende até o Passo Shanhaiguan, nas costas da Baia Bohai, no leste do país, sem que ninguém saiba com certeza a extensão exata desta maravilha antiga.

Cientistas chineses revelam ter achado vírus H5N1 em pardais há  dois anos
Beijing -- Cientistas chineses anunciaram recentemente terem descoberto o vírus H5N1 de gripe aviária em pardais h�� dois anos, sendo a primeira vez que o vírus foi  encontrado em aves comuns e não-migratórias da parte continental da China.
O Instituto de Virologia de Wuhan, na província de Hubei, no centro da China, analisou as amostras de excremento de 38 pardais depois de um caso de gripe aviária na província de Henan em 2004. Algumas amostras foram positivas em relação ao H5N1, disse Li Tianxian, pesquisador do instituto.
"Não é necessário que o público se preocupe. Já se passaram dois anos e não há indícios de que os pardais apresentem um risco", disse Li, acrescentando que os cientistas descobriram vírus de gripe aviária em pardais na região de Hong Kong em 2002 e também na Turquia e na África do Sul.
Trabalhando junto com o Instituto de Zoologia de Beijing, os dois cientistas da Academia de Ciências da China isolaram quatro variações de H5N1 entre as 25 amostras positivas de excremento.
Li afirmou que os testes das quatro variações mostraram que se trata de um novo genótipo de H5N1, acrescentando que os pesquisadores não descobriram pardais mortos.
Acreditava-se que a gripe aviária fosse transmitida principalmente por aves migratórias aquáticas, mas esta descoberta mostra que aves não-migratórias também são um meio potencial para a transmissão de gripe aviária, disse Li ao Chutian Metropolitan  News, publicado na província de Hubei.
A descoberta foi publicada em dezembro do ano passado na Revista de Virologia, dos Estados Unidos, segundo o jornal.

Relações sino-francesas são como uma árvore cheia de vida, diz Wen Jiabao
Beijing -- As relações bilaterais entre a China e a França estão se desenvolvendo como uma árvore cheia de vida, disse o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, na reunião com o presidente da França, Jacques Chirac, que visita China.
Wen afirmou que a França foi o primeiro país ocidental a estabelecer relações diplomáticas no nível de embaixadores com a China e o primeiro a estabelecer uma associação estratégica integral, realizar diálogo estratégico e de organizar anos  culturais recíprocos com a China.
Wen destacou que os dois países contam com economias complementares com enorme potencial da cooperação, e disse que a China promoverá a cooperação nas áreas de energia nuclear, aeroespaço e aviação, ferrovia, serviços financeiros e proteção ao meio ambiente.
Por sua parte, Chirac manifestou que seu país espera impulsionar cooperação comercial com a China e que deseja mais  oportunidades em setores como energia nuclear, aviação e ferrovia. Ele concordou nas propostas da China sobre a promoção de cooperação entre as comunidades de comércio de ambos os países.
Chirac chegou ã  China na tarde da quarta-feira para uma visita de Estado de quatro dias, tendo se reunido também com o presidente do Comitê Permanente da Assembléia Popular Nacional da China, Wu  Bangguo.

China vai treinar técnicos para pesquisa de fusão nuclear
Hangzhou -- Um centro de treinamento de pesquisa sobre fusão nuclear foi estabelecido na Universidade de Zhejiang em Hangzhou, capital da província de Zhejiang, no leste da China, com o objetivo de impulsionar o conhecimento no campo da fusão nuclear.
O Centro Estatal de Teoria e Simulação de Fusão da Universidade de Zhejiang vai ser o primeiro instituto de pesquisa especializado em treinamento de pessoal em fusão nuclear.
O centro vai treinar excelentes técnicos para o Reator Termonuclear Experimental Internacional (RTEI). A China é um dos sete participantes do programa de cooperação internacional. Os outros seis são Estados Unidos da América, União Européia, República da Coréia, Rússia, Japão e Índia.
O programa foi incluso no plano de desenvolvimento científico de longo prazo da China. Espera-se que a ignição do reator possa ser realizado em 2020 e, para atingir o objetivo, os técnicos em plasmas físicas são procurados desesperadamente.
O centro vai ter entre 15 e 20 pesquisadores de tempo integral e 10 a 15 estudiosos visitantes. Eles envolverão tanto acadêmicos chineses como cientistas estrangeiros de alto conhecimento sobre plasmas físicas, conforme Sheng Zhengmao, vice-diretor do centro.
O centro vai oferecer aos candidatos 20 títulos de mestres, 30 de doutores e 20 de pós-doutorados, disse Sheng.
O Programa de RTEI vai oferecer aos cientistas uma oportunidade de realizar o sonho de controlar a energia de fusão nuclear.

China desenvolverá tecnologia para evitar menores viciados em  Internet
Beijing -- A máxima legislatura da China está pensando em emendar uma lei para incentivar a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias para prevenir que os menores de  idade se tornem viciados em Internet.
O projeto de emenda da lei sobre a proteção de menores fará com que o Estado tome medidas para organizar a pesquisa e o desenvolvimento de novas tecnologias, como um software que poderá finalizar os jogos on-line através de um tempo fixo.
O projeto foi submetido ao Comitê Permanente da Assembléia Popular Nacional para a segunda leitura.
O projeto de emenda também proíbe a entrada de menores nos salões de dança, bares e casas de Internet comerciais.
O projeto foi elaborado em meio a uma preocupação cada vez maior sobre uma quantidade crescente de jovens viciados em Internet.
O governo diz que existem 15,4 milhões de internautas jovens entre os 123 milhões de pessoas que navegam regularmente a Internet. Dois milhões deles são viciados e esse número está  aumentando.

CITIC vai adquirir ativos de petróleo de empesa  canadense
Beijing -- O grupo CITIC (China International Trust & Investiment Corporation) concordou em comprar as propriedades petrolíferas, localizadas no Cazaquistão,  da Nations Energy Company Ltd. do Canadá, por US$ 1,91 bilhão, disseram hoje fontes do CITIC.
O acordo, permitirá o CITIC desenvolver o campo de petróleo e gás de Karazhanbas, em Mangistau Oblast, Cazaquistão. O campo tem reservas comprovadas de mais de 340 milhões de barris de petróleo enquanto a produção atual é de mais de 50 mil barris por dia.
Os ativos de petróleo da Nations Energy no Cazaquistão também incluem uma participação de 100% na Argymak Trans Service LLP, que fornece serviços de transporte, e na empresa Tulpar Munai Services LLP, que fornece serviços de perfuração e treinamento.
"Concentraremos os esforços na cooperação com os atuais clientes, fornecedores e parceiros de petróleo da Nations Energy, e ainda não há nenhum plano claro para vender petróleo para a China", disse uma pessoa bem informada do negócio que só revelou seu sobrenome Lu.
De acordo com o CITIC, o negócio ainda precisa da aprovação do governo do Cazaquistão que poderá ser concluído até dezembro.
A transação proposta também necessita da aprovação dos acionistas da Nations Energy e dos tribunais da província de Alberta.
O negócio foi anunciado no primeiro aniversário da aquisição da PetroKazakhstan Inc. (PK), com sede no Canadá, pela Companhia Nacional de Petróleo da China, maior produtor de petróleo da China, por US$ 4,18 bilhões em 27 de outubro do ano passado, o qual continua sendo a maior aquisição feita no exterior por uma  companhia chinesa.

Área de Livre Comércio da ANSEA (Sudeste Asiático)
Beijing -- Na 4ª Reunião de Cúpula da ANSEA (Associação das Nações do Sudeste Asiático), realizada em  Cingapura em 1992, a ANSEA iniciou o plano sobre Área de Livre Comércio da ANSEA, ALC-ANSEA, que elaborou um programa integral de redução de tarifa regional, o qual será implementado em fases até  2008.
Durante o percurso dos anos seguintes, o programa de reduções de tarifa foi ampliado e acelerado, e uma série de atividades da  "ALC-ANSEA Mais" foram iniciadas, incluindo os esforços para  eliminar as barreiras não-tarifárias e as restrições quantitativas, harmonizar a terminologia alfandegária, avaliação e procedimentos e desenvolver padrões comuns de certificação de produtos.
Além disso, a ANSEA assinou, mais tarde, acordos para a liberalização intra-regional do comércio de serviços e para a cooperação de Direitos de Propriedade Intelectual regional. Um esquema de complementação industrial, projetada para incentivar o  investimento regional, foi aprovado, enquanto negociações foram realizadas para criar uma área livre de investimento dentro da região.
Durante a crise financeira de 1997-1998, a ANSEA reafirmou seu compromisso com a ALC-ANSEA. Como parte de uma série de "medidas  ambiciosas", a ANSEA concordou que os seis membros signatários originais deveriam acelerar diversas reduções de tarifas dentro de um ano, de 2002 a 2003.
Quando o acordo da ALC-ANSEA foi assinado pela primeira vez, a ANSEA contava com seis membros - Brunei, Indonésia, Malásia, Filipinas, Cingapura, e Tailndia. O Vietnã juntou-se em 1995, o Laos e Mianmar em 1997 e o Camboja em 1999. Todos os últimos quatro países foram obrigados a assinar o acordo da ALC-ANSEA para poder se integrar ã  ANSEA. No entanto, esses países possuem mais tempo para cumprir as obrigações de redução de tarifas.

China fortalecerá capacidade de supervisão bancária
Beijing -- A máxima legislatura chinesa começou a discutir hoje o projeto de uma emenda de lei que permitirá que os departamentos de supervisão bancária investiguem as instituições e indivíduos não-financeiros.
O projeto de emenda sobre o regulamento e a supervisão bancária foi submetido ã  24ª sessão do Comitê Permanente da 10ª Assembléia Popular Nacional para a sua primeira leitura.
A emenda tem o objetivo de fortalecer a supervisão do setor bancário chinês. A lei atual, que entrou em vigor em 2004, permite a Comissão Reguladora dos Bancos da China (CBRC, siglas em inglês) e seus departamentos subsidiários supervisar, investigar e coletar informação só de instituições financeiras.
No entanto, o presidente da CBRC, Liu Mingkang, acredita que a lei atual não pode garantir eficazmente a luta dos departamentos de supervisão bancária contra as atividades ilegais no setor bancário.
Liu disse que muitos casos são planejados por pessoas ligadas ao setor bancário junto com instituições e indivíduos externos que os departamentos não têm poder legal para investigar.
A CBRC recebeu 76 queixas sobre obstáculos durante as investigações das suas subsidiárias em 2005.

Grupo  francês  oferece ã  China tecnologia para geração de energia nuclear
Beijing -- O grupo nuclear francês Areva oferecerá ã  China uma transferência de tecnologia completa em uma nova licitação sobre unidades da terceira geração para a produção da energia nuclear, disse a presidente do Grupo Avera, Anne  Lauvergeon.
Lauvergeon, que acompanhou o presidente da França Jacques Chirac na visita ã  China, disse ã  Xinhua que a Avera poderia oferecer ã  China sua tecnologia para o Reator Europeu de Água Pressurizada (REP) desde que possa construir pelo menos uma das unidades.
De acordo com Lauvergeon, este é a oitava participação em licitação da  Avera desde que a China lançou em setembro de 2004 uma licitação internacional para as unidades de reatores nucleares da terceira geração. Estas unidades serão utilizadas no projeto nucleoelétrico de Yangjiang, província de Guangdong, sul da China, e no projeto nuclear de Sanmen, província de Zhejiang, leste do país.
A Avera, Westinghouse, propriedade de Toshiba, e ASE da Rússia são os três candidatos ao contrato.
A Avera é atualmente o único fornecedor de tecnologia nuclear da terceira geração que tem um pedido firme. A sua primeira unidade REP começará a funcionar na Finlndia em junho de 2009.
O governo chinês espera elevar a proporção da energia nuclear  no país de 1,6% atualmente para 4% até 2020, o que significa que  nos próximos 15 anos, a China desenvolverá uma capacidade nuclear de 30 milhões de quilowatts.
A China já adotou a tecnologia da Avera para alguns das suas unidades da geração da energia nuclear. Lauvergeon disse que isso significa que o REP da Avera se ajustará ã  atual tecnologia nuclear da segunda geração da China.
A Avera entrou no mercado chinês em 1986 quando forneceu equipamentos nucleares para os projetos nucleoelétricos de Dayawan e Ling'ao na província de Guangdong, assim como tecnologia e equipamentos para os quatro reatores nucleares das centrais nucleoelétricas de Qinshan II e Tianwan, na província de Jiangsu, leste da China.
A cooperação da Avera com a China na energia nuclear é completa, estável e profunda. "Esperamos vencer a licitação e converter a China em uma vitrina para os REPs da Avera", disse.

França reduz importncia de rejeição russa a sanções propostas  contra  Irã
Paris -- A França não deu importncia, ã  decisão russa de rejeitar a proposta de resolução sobre as sanções contra o Irã pelo seu programa nuclear, afirmando ser normal que cada país tenha sua posição.
Os países europeus estão "no processo normal da elaborar uma resolução das Nações Unidas, para chegar a um acordo e assegurar o consenso da comunidade internacional", disse na entrevista coletiva o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da  França, Jean-Baptiste Mattei.
"Cada país tem sua posição", disse Mattei, "Tomamos nota das declarações da Rússia e agora iniciaremos discussões em Nova  York".
Os Estados Unidos, Rússia, França, Reino Unido, China e Alemanha ofereceram ao Irã um pacote de medidas como incentivos para que Teerã suspendesse o enriquecimento de urnio, mas Teerã o rejeitou.
As nações européias propuseram esta semana sanções que proíbem a venda de tecnologias atômicas e de mísseis ao Irã e suspendem a maior parte do auxílio da ONU para seus programas nucleares.
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov,  disse que a resolução proposta pelo Reino Unido, França e Alemanha "não corresponde ao que os seis países tinham concordado previamente".
O vice-ministro russo Sergei Kisliak disse que é preciso "um  longo processo de negociação antes de tomar uma decisão aceitável  para todos".

China deseja impulsionar parceria estratégica com Índia
Beijing -- A China está disposta a colaborar com a Índia para impulsionar uma parceria estratégica bilateral, afirmou Liu Jianchao, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.
Liu disse em uma entrevista coletiva regular que o chanceler chinês, Li Zhaoxing, enviou uma mensagem de felicitação ao novo ministro das Relações Exteriores da Índia, Pranab Mukherjee.
A China está feliz com o progresso das relações bilaterais que servem o interesse de ambos os povos, indicou.
Sendo a China e a Índia dois importantes países em desenvolvimento, fortalecer a cooperação bilateral é essencial  para a região e o mundo em geral, disse o porta-voz da diplomacia chinesa.
Este ano se comemora o Ano da Amizade China-Índia. Os dois países realizaram muitas atividades e aprofundaram o entendimento  e a amizade entre os povos, disse Liu.
"Acreditamos que, com os esforços conjuntos, a parceria estratégica China-Índia continuará avançando", disse o porta-voz.

Mais de nove milhões de chineses urbanos encontraram emprego este  ano

Beijing -- Um total de 9,32 milhões de chineses urbanos encontraram emprego nos primeiros nove meses deste ano, superando a meta de nove milhões para todo o ano, informou o Ministério do Trabalho e Previdência  Social.
Esta é a primeira vez nos últimos anos que a China cumpre sua meta anual de emprego três meses antes do tempo previsto.
O apoio do governo é o principal fator para este desempenho, disse Zhou Tianyong, pesquisador do setor.
Cerca de 3,92 milhões dos novos empregos foram para trabalhadores despedidos e outros 990 mil para o "grupo 40-50", de homens de mais de 50 anos e de mulheres de mais de 40 anos.
O restante são graduados de escolas profissionalizantes e  instituições de ensino superior, trabalhadores rurais migrantes e outros.
O ministério indicou que ainda há 8,35 milhões de residentes urbanos desempregados e a taxa de desemprego oficial é de 4,1%,  0,1 ponto percentual abaixo da cifra do primeiro semestre do ano.

Turistas chineses se preparam para visitar o Pólo Sul
Beijing -- Turistas chineses partirão para o Pólo Sul no início do próximo ano em uma expedição de 21 dias, visitando o território branco da Península Antártica geralmente reservado aos cientistas.
A viagem de US$ 10 mil será a mais cara já organizada por uma agência de viagens de Guangdong.
Segundo a Agência de Viagens Mercantil Guangzhou, uma das organizadoras da viagem, o grupo sairá em 7 de fevereiro de 2007 de Guanghzou e atravessará metade do globo até Ushuaia, na  Argentina, uma das cidades mais meridionais do mundo. De lá, viajarão de barco pela Passagem Drake e pelas ilhas Shetland do  Sul, onde poderão ver pinguins, focas e elefantes marinhos, chegando finalmente ã  Península Antártica em 18 de fevereiro.
A maioria dos 24 membros do grupo de viagem são empresários, incluindo dirigentes de empresas imobiliárias. Os viajantes terão seguros de até US$ 250 mil, segundo informações da mídia.
Os turistas farão exames médicos antes da partida e não poderão viajar se não forem aprovados.
Vários planos de viagens ao Pólo Sul já fracassaram -- uma  viagem organizada em Shanghai não aconteceu por falta de turistas interessados. Um grupo organizado em Beijng não viajou porque não conseguiu visas para a Argentina.
A Argentina será um novo destino turístico para chineses a partir de 1º de janeiro de 2007.

Airbus assina acordo para estabelecer linha de montagem em Tianjin
Beijing -- O fabricante de avião europeu Airbus assinou um acordo com a China para estabelecer uma  linha de montagem do Airbus A320 em Tianjin, uma cidade portuária no norte da China.
O presidente chinês Hu Jintao e o presidente francês Jacques Chirac participaram da cerimônia de assinatura no Grande Palácio do Povo em Beijing.
Sob o acordo, que agora precisa da aprovação do governo chinês e da Diretoria da Companhia Européia da Aeronáutica e Espaço, a linha de montagem entrará em operação no começo de 2009 e está programada para produzir quatro aviões Airbus A320 por mês a partir de 2011.
O presidente da Airbus e o CEO Louis Gallois disseram na cerimônia que a parceria será uma cooperação estratégica de longo prazo e ambas as partes serão beneficiadas.
Ele disse que a Airbus trabalhará com a China para assegurar que os aviões Airbus A320, produzidos em Tianjin, tenham o mesmo  padrão que aqueles fabricados em outros lugares.
"Nós estamos esperando ansiosamente a operação do primeiro avião A320 produzido na China", notou.

China e Airbus assinam acordo de compra de 170 aviões
Beijing -- A China e a Airbus, gigante de aviões europeu, assinaram um acordo-quadro e uma carta de intenções para a aquisição de 150 aviões Airbus A320 e Airbus A350.
O acordo e a carta de intenções foram assinados pelo presidente e CEO da Airbus, Luis Gallois, e Li Hai, gerente-geral do Grupo de Importações e Exportações para Fornecimento de Aviação da China.
O presidente chinês, Hu Jintao, e o presidente francês, Jacque Chirac, de visita ã  China, assistiram ã  cerimônia de assinatura no Grande Palácio do Povo, no centro de Beijing.
Desde que o primeiro avião Airbus A310 200 entrou no mercado chinês em 1985, o número de aviões da Airbus em operação na parte  continental chinesa aumentou de menos de 30 em 1995 para mais de 300 até o final de setembro deste ano, de acordo com estatísticas oficiais.
Atualmente, mais de 2.800 aviões A320 da Airbus estão em operação em mais de 180 companhias aéreas no mundo inteiro. As encomendas mundiais para o A320 são de 4.400.

China e França querem aumentar cooperação no Conselho de Segurança
Beijing -- A China e a França fortalecerão mais a comunicação e cooperação no Conselho de Segurança da ONU para resolver assuntos regionais, informou uma declaração conjunta publicada aqui.
A declaração, assinada pelo presidente chinês, Hu Jintao, e o seu colega francês, Jacques Chirac, depois das suas conversações, diz que as duas partes estão satisfeitas com a cooperação estreita dentro do Conselho de Segurança e sobre os assuntos regionais e que contribuirão com mais esforços para que isso aconteça.
Ambas partes mostram-se satisfeitas com sua participação das Forças Interinas da ONU no Líbano e esperam que o conflito no Líbano possa ser resolvido de forma permanente.
Os dois países também pediram apoio para a Resolução 1696, aprovada pelo Conselho de Segurança com respeito ã  questão nuclear iraniana, segundo a declaração conjunta.
A declaração expressou que os dois países manterão contatos estreitos e regulares e que trabalharão para encontrar uma solução pacífica para a questão nuclear iraniana.
A China e a França disseram que estão preocupados com o teste nuclear anunciado pela República Popular Democrática da Coréia  (RPDC) em 9 de setembro, dizendo que o teste está contra o destino de desnuclearização da Península Coreana, bem como os esforços da sociedade internacional para fortalecer o tratado de não-proliferação internacional.
A declaração disse que os dois países apóiam a Resolução 1718 do Conselho de Segurança e pede ã  RPDC cumprir sua promessa de desnuclearização da península.
As duas nações esperam que todas as partes insistam numa solução pacífica da questão nuclear através de diálogo e que se esforcem para um recomeço mais cedo das conversações entre seis  partes, segundo a declaração.
Os dois países concordam também em manter consultas e trabalhar juntos para obter a denuclearização, paz e estabilidade da península coreana e do nordeste da Ásia.
Chirac chegou a Beijing para uma visita de quatro dias ã  China.

Descobertas tumbas de 2.300 anos no centro da China
Luoyang -- Quando os escultores gregos construíram o fabuloso Mausoléu de Halicarnasso, uma das Sete Maravilhas do mundo, na Turquia há 2.300 anos, os reis e os nobres chineses estavam construindo centenas de tumbas em Luoyang, capital da antiga Dinastia Zhou Oriental (770 - 256 a.C.).
Mais de 397 tumbas e 28 fossas de sacrifícios de cavalos daquele período foram descobertas dentro de uma área de 6 mil metros quadrados em Luoyang, na pronvíncia de Henan, na região central da China. Os historiadores acreditam que o mausoléu foi destruído no século XI.
Arqueólogos descobriram as tumbas em uma construção no centro da cidade. O lugar servia de cemitérios para as famílias nobres do período, segundo registros locais.
Uma fossa de sacrifício de cavalos, considerada como a maior desse tipo descoberta em Luoyang, está sendo escavada sob a  direção de especialistas.Na antiga China tinham o costume de enterrar os cavalos e as carroças ao lado dos mortos para indicar a sua posição social.  
Até agora, os arqueólogos chineses revelaram 98 tumbas, dos quais 95 são da Dinastia Zhou Oriental, 2 são da Dinastia Qin (221 a.C. - 206 a.C.) e um da Dinastia Han (206 a.C. - 220 d.C.).
As tumbas descobertas da Dinastia Zhou, que continham produtos de cermica, armas de bronze e artigos de jade, pertenciam ao povo. As outras duas maiores com fossas de sacrifício, instrumentos musicais e outros artigos para a cerimônia de  sacrifício, pertenceram ã s famílias nobres, segundo os arqueólogos.
A descoberta irá fornecer pistas valiosas para o estudo da  cultura funerária e dos estilos de tumba desse período, disse os arqueólogos.
Até agora, mais de 1.000 tumbas da Dinastia Zhou Oriental foram descobertas na cidade.
Uma pesquisa arqueológica na década de 50 descobriu 260 tumbas do mesmo período na cidade, o qual ajudou a identificar o período do uso de produtos de cermicas na região central da antiga China.

Arqueólogos descobrem fosso raro em torno de mosteiro no Tibet
Lhasa -- Arqueólogos chineses descobriram um fosso de 700 anos em torno de um mosteiro na região autônoma do Tibet, no sudoeste da China.
"A parte até agora escavada do fosso dá voltas simétricas a  cada cinco metros e tem uma forma raramente vista na China ou em outras regiões", disse Zhang Jianlin, vice-diretor do Instituto de Arqueologia e Pesquisa de Shaanxi.
O fosso de 8,8 metros de profundidade, 6 metros de largura na parte alta e 3,3 metros na parte baixa foi encontrado no mosteiro de Sagya, na cidade de Xigaze, sul do Tibet. Ele fica a 17 metros de distncia do mosteiro, segundo Zhang, que dirige as escavações. O mosteiro foi construído no século 13, quando o distrito de Sagya era um centro religioso regional.
"Esse tipo de fosso é mencionado em registros históricos e já ouvi os velhos falarem dele", disse Bandian Toinyu, da comissão diretora do mosteiro. "Mas eu nunca tinha visto um antes".
O fosso pode ter sido usado para defesa em guerras e é muito  bonito, segundo Bandian Toiniu.
O mosteiro de Sagya cobre uma área de 14.700 metros quadrados. A restauração do edifício começou em 2002 e deverá terminar no final deste ano, custando cerca de US$ 10 milhões.

Leões esculpidos na Ponte Marco Polo sofrem com intempérie
Beijing -- A Ponte Lugou, no sudoeste de Beijing, que tem uma história de 800 anos e foi registrada na narração de viagem de Marco Polo, está sofrendo danos em suas  bonitas esculturas de leão por causa de intempéries.
Danos sérios foram encontrados em nove leões de pedra na ponte, famosa na China e no exterior por sua arquitetura delicada, disse um funcionário do Departamento de Relíquias Culturais do sítio  turístico Ponte Lugou.
As rachaduras foram descobertas em muitos outros leões de pedra, disse o funcionário, chamado Wang, acrescentando ser muito difícil o conserto dos leões danificados e até agora os especialistas não  descobriram um método adequado para resolver o problema.
A Administração Estatal de Herança Cultural enviou especialistas para averiguar o problema e elaborar um plano de recuperação.
Monitores foram instalados na ponte para registrar fatores ambientais, como a temperatura e a força de vento na região.
A ponte foi construída em 1189 e renovada e consertada muitas vezes na história.

Beijing melhora instalações de serviço público
Beijing -- A capital chinesa investirá US$ 10,8 bilhões para melhorar suas instalações de serviço público nos próximos cinco anos, segundo um comunicado do governo municipal.
Os recursos serão dedicados ã  melhoria de instalações educativas, culturais e esportivas em comunidades, a assistência médica rural e a prevenção de doenças, revela o plano de desenvolvimento do serviço público para o período 2006-2010, da Comissão Municipal de Desenvolvimento e Reforma de Beijing.
O governo municipal investirá US$ 3,8 bilhões e o restante, cerca de US$ 6,9 bilhões, será captado junto ã  sociedade civil, diz o plano.
A capital da China também planeja destinar US$ 25,3 bilhões ã  construção de auto-estradas, ferrovias e sistemas inteligentes de transporte nos próximos cinco anos.

XINHUA-Agência de Notícias da China

Topo!